iPod e o Linux

Como utilizador de Linux (no desktop), uma coisa que sempre senti falta foi do conforto oferecido pelo iTunes na gestão do meu iPod. Desde o início que me senti obrigado por falta de alternativas, a quando queria actualizar a minha livraria de músicas no iPod, ou simplesmente a editar alguma coisa lá tinha eu que relutantemente voltar a iniciar o meu PC no windows (shame on me).

Há alguns dias lá resolvi perder 5 minutos do meu tempo e procurar por alguma ferramenta que me deixasse pelo menos introduzir e apagar as musicas do iPod. E foi isso que encontrei no gtkpod, este pequeno pacote oferece uma variada lista de funcionalidades, entre elas adicionar e extrair músicas podcast e vídeos do iPod, visualizar e editar playlists bem como a informação das músicas, entre muito mais. podem ver a lista completa aqui.

Para instalar basta abrir uma consola e digitar: sudo apt-get install gtkpod.

Resta dizer que esta ferramenta não oferece nem de perto as funcionalidades e a eficácia que o iTunes oferece, mas é uma boa opção para quando é necessário actualizar o iPod e não se tem um iTunes por perto 😉

English version here

Google Chrome – Uma revolução nos browsers?

Depois de muita especulação sempre acabou por sair o Chrome, o novo browser criado pelo todo-poderoso Google. Já para começar a apresentação que fizeram do produto (em forma de banda desenhada) ficou extraordinária, focando os principais pontos do programa duma forma bastante clara, e ao mesmo tempo divertida de ler.

Segundo estatísticas fornecidas pelo site Clicky Web Analytics, a quota de utilizadores que utilizam o Chrome (em cerca de 45000 sites diferentes) supera a do “melhor browser do mundo que ninguém usa” – Opera – em quase 1,5%, isso dois dias depois do seu lançamento. É qualquer coisa, não é?

Agora mãos à obra, vamos ao que interessa:

  • O processo de instalação é impecável e bastante rápido, num minuto temos o browser activo e pronto a funcionar.
  • À primeira vista o Chrome tem um aspecto bastante minimalista, o que maximiza (a diferença comparando com o firefox é bastante) o espaço útil para a visualização de páginas, o que é óptimo para monitores pequenos. A ausência da barra de tarefas (substituída pelas tabs) não é sequer notada, contribuindo para a maximização da área de visualização.
  • Em termos de rapidez, nota-se bastante a eficiência que múltiplos processos para múltiplas tabs nos dá, caso algo corra mal com alguma delas mata-se o processo utilizando o gestor de tarefas do Chrome (Shift+Esc). Nada de informação perdida, nada de reiniciar o browser, apenas eliminar a tab bastarda e seguir a nossa vida. O Webkit utilizado como base para o Chrome é muito rápido a abrir as páginas, fiquei bastante satisfeito.
  • A importação de marcadores/favoritos a partir do Firefox é automática (em relação ao IE não sei dizer, não o utilizo de todo), e bastante suave, simplesmente o programa já aparece com todos os nossos dados sem ser preciso um único clique. Fantástico.
  • A página que é aberta sempre que se abre uma tab nova é gerada automaticamente a partir das nossas 9 páginas mais visitadas, o que dá bastante jeito na maior parte dos casos. (nós iríamos visitar um daqueles sites na mesma, não é verdade?)
  • Apesar de terem sido reportadas algumas falhas na reprodução de conteúdo flash/java não notei nada do gênero, correndo tudo às mil maravilhas (não foi preciso sequer a instalação de qualquer plugin).
E para já penso ser só isso, apesar do browser possuir mais funcionalidades (consola de JavaScript por exemplo), explorei mais aquelas que são utilizadas pelo utilizador comum, a massa que acaba por ser o público-alvo deste tipo de produtos.
Apesar de ser um programa ainda em fase beta parece-me já ter saído ao público bastante maduro, vale a pena continuar a acompanhar o projecto, possui bastante potencial.

Programando Backups com Cobian Backup

Quem é que nunca viu um disco rígido dar o berro, assim sem mais nem menos? E aquelas quantidades massivas de fotos e documentos irrecuperáveis, e agora?

Há muito tempo tenho andado atrás de um aplicativo que me correspondesse aos seguintes requesitos:

  • Poder fazer backup de ficheiros
  • Programar backups
  • Poder fazer backups a partir de outro computador da rede

Eu sei, provavelmente há infinitas opções à escolha, mas por um motivo ou outro acabei por reduzi-las todas a este programa: Cobian Backup.

Podendo definir vários backups diferentes (todos com opções únicas) é uma aplicação que deveria ser obrigatória para todos aqueles que gostam de preservar seus documentos, músicas, fotos, etc.

A diversidade de opções é enorme, pode-se pedir para que seja enviado um e-mail (utilizando smtp) caso haja erros, ou mesmo cada vez que for efectuado um backup, interage com FTP, pode ser utilizada encriptação para uma maior segurança das suas cópias, compressão para poupar espaço em disco,  pode-se até filtrar as pastas que se deseje fazer a cópia para copiar apenas as extensões de ficheiro desejadas.

Apesar de todas essas possibilidades há o senão: só há uma versão Windows do programa, e a mais nova versão (versão Amanita) deixou de ser Open Source, apesar das versões anteriores continuarem disponíveis na página do projecto no SourceForge.net. O programa foi escrito em Delphi/Kylix, assim sendo só funciona mesmo em plataformas Windows 32bits desde o 95 até a espécie de SO.

A todos que gostem de ter os seus backups organizados e feitos a tempo, é uma ferramenta que aconselho vivamente.

Página do projecto

Download (Versão 9 Amanita) (Aprox. 9.1MB) (Freeware)

Download (Versão 8 Black Moon) (Aprox. 8.1MB) (Freeware & Open Source)

Download de Artwork e Lyrics no iTunes em Mac

Sem conices e empatanços para encher chouriço (o título por si só já é self-explanatory) apresento-vos este pequeno utilitário para o Mac: GimmeSomeTune.

Para aqueles que gostam da sua (extensa) biblioteca de músicas arrumadinha, com capas e letras em todas as músicas esta é a opção perfeita. E a melhor parte: GRÁTIS!

Cada vez que uma música é tocada pode-se configurar o programa para automaticamente fazer o download da capa do álbum correspondente e também da letra, mostrando-os no ecrã com uma aparência bastante agradável à vista (também opcional). Podem ser configurados também atalhos para as mais diversas funções, mudar a maneira que é exibido no ecrã, enfim. Uma ferramenta para neat-freaks como eu, que dá um grande jeitaço. Espero ter – não sido útil, porque duvido da utilidade prática disto – agradado.

Página do projecto

Download

Screenshots da aplicação:

Utilizar o GMail como cliente padrão no Firefox 3

Cansados de carregar num link “mailto:” e a verem o cliente de email (aqueles que vocês nunca raramente usam/usaram/vão usar) a abrir o programa de configuração? Pois é, os nossos amigos do blog oficial do gmail vieram com a solução, que é bastante fácil na verdade.

Para configurarem o vosso browser para abrir os links com o GMail, basta seguir os seguintes passos, não tem nada que saber.

  • Ir à barra de endereços e digitar about:config
  • Verificar se o valor network.protocol-handler.external.mailto está a true. Se não estiver, alterem-no a clicar duas vezes por cima do mesmo.
  • Fazer o login no GMail.
  • Copiar o seguinte texto na barra de endereços

javascript:window.navigator.registerProtocolHandler(“mailto”,”https://mail.google.com/mail/?extsrc=mailto&url=%s”,”Gmail”)

  • Clicar em Adicionar Aplicação (Add Application)

Pode sempre que quiser mudar essa opção a partir das preferências do Firefox, no separador Aplicações (Applications).

Sincronizar Google Calendar com iCal

Sabiam que o ícone do iCal por defeito mostra a data 17 de Julho porque é o dia em que foi apresentado ao público na Macworld 2002? Pois é, não tem (quase) nada a ver com o post, mas é interessante saber essas coisas! Para sincronizarem a vossa conta do Google Calendar com o iCal é bastante fácil. Tudo o que é preciso é ir buscar os links ical dos vossos calendários, e adicionar no programa. Os passos são os seguintes:

  • A seguir para cada um dos calendários é preciso:
  • Ir a “Gerir malendários” ou “Manage calendars”

  • Depois é preciso clicar no calendário correspondente para abrir as opções

  • E seleccionar o link ical

  • Por fim, é preciso copiar o link dado

  • E adicionar o link no programa. Para isso, é preciso ir à barra de tarefas no menu “Calendário”/”Calendar” > “Assinar”/”Subscribe”, e colar o link anterior.

E Já está! 😀

Sincronizando Windows Mobile no Mac – MissingSync

É aquele problema de sempre, arranjar equivalentes do programas feitos pra Windows nos sistemas operativos de verdade. Sincronizar o PDA com o Mac era um desses problemas que agora já está resolvido, e funciona bastante melhor do que o ActiveSync disponibilizado junto com o aparelho, chama-se MissingSync.

Sincroniza desde contactos, calendários, sms até música, vídeo e fotos. Permite agendar lembretes periódicos para novas sincronizações e instalar aplicações. A ligação pode ser feita pela rede, bluetooth ou USB… Enfim, faz tudo o que o seu equivalente “oficial” faz, mas melhor. Tem um custo associado de 39.95 dólares americanos e é uma aplicação bastante útil.

Screenshots: