Notifier for Mac OS X

Notifier for Mac OS XOra, estando eu cansado da simplicidade extrema do “notificador” oferecido pelo GMail, fui ao site da Apple à caça de algo que satisfizesse melhor as minhas necessidades. Pois bem, deparo-me com o Notifier.

Munido com uma interface muito mais limpa e simplista do que o seu “concorrente oficial”, o Notifier permite a utilização de até 4 contas GMail em simultâneo, permitindo escolher o intervalo de tempo com que cada conta é verificada. É bastante agradável à vista e, tanto quanto reparei até o momento, bastante funcional. Um must-have!

Link do projecto

Neverball

neverball

Hoje deixo-vos aqui uma sugestão para matarem o tempo naqueles momentos em que não há nada (de melhor) para se fazer, ou simplesmente para fazer uma pausa no trabalho.

O jogo que vos aconselho é o neverball, um jogo simplesmente viciante em que o objectivo é controlar uma pequena bola através de um mapa até ao ponto de saída do mapa, apanhando moedas pelo caminho havendo ainda um tempo limite para terminar o nível. Mas o que torna este jogo diferente e original é que não se controla directamente a bola, mas sim a próprio terreno de jogo, sendo a gravidade a responsável pelo movimento da bola, o que torna o jogo muito mais interessante.

De salientar ainda que o neverball se encontra disponivel para windows, linux e mac osx, é gratuito e é possivel descarregar dezenas de novos mapas, bem como desenhar os proprios mapas.

Forçar “esvaziar reciclagem”

empty trash canPara aquelas vezes em que, por motivos alheios à nossa compreensão, o OS X não nos deixa esvaziar a reciclagem fica aqui um pequeno truque que permite forçar a eliminação dos items.

Basta para isso abrir a reciclagem e ter premida a tecla alt enquanto se clica no botão “Empty“, mostrado na figura abaixo.

empty recycle bin

Rápido e simples.

Top 10 atalhos do Mac

A utilidade dos atalhos de teclado são inquestionáveis, não há dúvida que existem para tornar bem melhores as nossas vidas. Hoje resolvi fazer uma compilação daqueles que, na minha opinião, são alguns dos atalhos mais utilizados pelos apreciadores da maçã.

1.Force quit

force quit

Para quando aquela aplicação insiste em deixar de funcionar, há sempre esta alternativa: forçar o encerramento do programa. Não é de longe a solução mais elegante, mas certamente funciona e tem de ser utilizada de vez em quando.
Para isso pode-se utilizar o menu >Force Quit ou, mais rapidamente, o atalho do teclado alt+cmd+esc.

2.Esvaziar a reciclagem

empty trash can

É um trabalho sujo, mas alguém tem de o fazer…
Como todos sabemos, nada é verdadeiramente excluído até ser eliminado da reciclagem (e nem assim o é, mas isso são panos pra outras mangas).
O espaço continua a ser desnecessariamente ocupado e temos eventualmente de nos ver livres de tanto lixo. Para isso, basta fazer cmd+tab para seleccionar o Finder e a seguir utilizar a seguinte combinação: cmd+shift+backspace, para que todo o conteúdo da reciclagem seja eliminado.

3.Aumentar/Diminuir o volume sem o beep

sound

Para aqueles momentos em que precisa (normalmente) de baixar o volume do Mac de maneira despercebida, basta pressionar a tecla shift enquanto baixa ou aumenta o som para que ninguém note a sua presença.

4.Preferências de itens

system preferences

Para visualizar rapidamente definições de display, spaces e som basta utilizarem – respectivamente – as seguintes combinações de teclado:

alt+F1/F2
alt+F3/F4
alt+F10/F11/F12

5.Aumentar/diminuir 1/4 de volume

quarter sound

Atalho que pode não ser tão útil como os anteriores, mas sem dúvida um must-know para perfeccionistas: alt+shift+volume keys aumenta/diminui apenas um quarto de uma das unidaades de volume como é mostrado na imagem ao lado.

OBS: O beep não fica desactivado com essa combinação de teclas.

6.Zoom

magnifying glass

Aplicação que se tornou mais útil do que estava à espera, o zoom pode dar jeito nas mais diversas ocasiões. Na maior parte das vezes utilizo-o simplesmente para mostrar uma coisa ou outra a colegas, mas de qualquer das maneiras é algo que nunca é demais saber.
Basta a combinação ctrl+2 dedos do rato (como se fosse fazer scroll) para fazer zoom, com possibilidade depois de se ver o resto do ecra com movimentos do rato.
Para voltar ao normal, basta fazer ctrl+scroll down (mais uma vez com os dois dedos do rato) até que todo o ambiente de trabalho esteja visível.

7.Screenshot (ou Printscreen)

full screenshot

Atalho que poucas vezes costumo usar, devido a que capture uma imagem de todo o ecrã, coisa que raramente preciso.
Normalmente recorro a aplicações externas (skitch, por exemplo), por permitirem post-editing e tirar screenshots apenas de uma janela. Porém nem todos somos iguais e pode haver a quem dê jeito.
Para tirar um screenshot de todo o ecrã actual, pressione cmd+shift+3 et voilá! Uma imagem pronta em seu ambiente de trabalho.

8.Screenshot parcial

Alternadamente à solução anterior, é possível tirar um screenshot apenas de uma área desejada do ecrã. Para isso, utiliza-se antes o atalho cmd+shift+4, e após isso é apenas preciso escolher a área desejada e a imagem aparece automaticamente no ambiente de trabalho.

9.Menu de desligar

menu desligar

Não posso dizer com muita sinceridade que desligue o meu mac, de todo. Na semana passada reparei que o tinha há 15 dias seguidos sem ser desligado, o que faz simplesmente com que faça um reboot de vez em quando.
Porém nem todos os utilizadores são como eu, por isso fica também esta dica: ctrl+eject abre o painel acima, permitindo ao utilizador reiniciar, desligar ou suspender o computador.

10.Force eject

eject

Este atalho já foi aqui referido anteriormente e foi uma das soluções que tive de aprender da pior maneira: quando me aconteceu. Se bem me lembro foi mesmo o DVD do Leopard que lá ficou preso, então lá fui eu desesperado procurar por uma solução.
Como pode dar sempre jeito nunca é demais lembrar: para forçar a que o CD/DVD seja ejectado da drive basta, ao iniciar do sistema operativo, deixar premido o botão do rato até que a drive ejecte o conteúdo.

Screensaver Pass Switcher

screensaver pass switcher

Depois de muitas intrusões indesejadas em computadores vizinhos no CeSIUM, Tiago Dias, um colega nosso, resolveu criar um widget que prevenisse essa situação, a activar a password do screensaver.

Disso nasceu o Screensaver Pass Switcher, um widget simples e, na minha honesta opinião, uma bofetada na confiança que se tem nos amigos que ficam no CeSIUM enquanto se vai tomar um cafézinho. De qualquer das maneiras, aqui fica o link para o download a quem desejar experimentar.

Download

Servidor Oracle em Mac OS X Leopard

Para a disciplina de Base de Dados somos vá, “encorajados” a instalar o Oracle para o acompanhamento das aulas. Ora bem, eu utilizando o Mac e recusando-me a fazer uma partição para o Windows, andei a procura de uma melhor solução, que passasse por exemplo pela utilização de uma máquina virtual. Pois bem, encontrei aqui a solução. Vai ser utilizada uma versão do Ubuntu virada para servidores, o JeOS (lê-se “Juice”) e o OracleXE.

NOTA: Antes de começar é preciso dizer uma coisa (deixaram isto bem claro, por isso deve ser importante). Para o OracleXE, é preciso pelo menos mais do dobro de memória SWAP do que a memória física que a máquina virtual vai ter disponível (que pode ser cerca de 256 ou 320 MB), por isso tenham esse espaço SWAP em memória quando alocarem espaço para o disco. Por exemplo, se tiverem 256 MB reservados para a RAM da máquina virtual, o OracleXE vai pedir pelo menos 512MB de SWAP.

Vamos lá então por partes:

1 – Instalar o Sistema Operativo

  • Fazer o download da imagem do SO aqui (Aprox. 100MB) (YA! 100! Também achei fantástico.)
  • Abrir o VMware Fusion (vou utilizar aqui a versão 1.1.1), e seleccionar “New” para criar um disco virtual.
  • Escolher o sistema operativo, “Linux” e “Ubuntu”
  • Dar um nome e escolher onde quer guardar a imagem do disco virtual
  • Escolher um tamanho a dar ao disco (não se esquecendo da nota acima)
  • Seleccionar a imagem sacada há bocado e começar a instalar o SO.
  • Durante a instalação, dizer ao SO para não detectar o layout do teclado
  • Na altura da partição, assegurarem-se de reservar o espaço para o disco no início do disco virtual, e deixar o restante para a SWAP
  • Depois disso o sistema deverá instalar normalmente, e vai pedir um username e uma password para o utilizador (o normal, não estou a reinventar a roda)

2 – Preparar o sistema

  • Começar por actualizar o sistema com apt-get update e dist-upgrade
  • Reboot, pois a actualização vai instalar um novo kernel

sudo shutdown -r now

  • Instalar os seguintes pacotes: build-essential, linux-headers-$(uname -r), psmisc e wget
  • Agora é preciso instalar o VMware Tools, para isso:
  • Escolher o menu Virtual Machine > Install VMware Tools
  • O passo anterior vai disponibilizar um CD virtual, que deve ser montado com

sudo mount /media/cdrom0

  • A seguir, copia-se o ficheiro necessário para a instalação para a directoria tmp, descompacta-se o ficheiro e procede-se à instalação

sudo cp -a /media/cdrom0/VMwareTools*.gz /tmp/
cd /tmp/
sudo tar -xzvf VMwareTools*.gz
cd vmware-tools-distrib/
sudo ./vmware-install.pl

Escolhe-se sempre a opção padrão na instalação do VMware Tools.

3 – Instalação do OracleXE

  • Primeiro é preciso adicionar a linha do repositório correspondente ao OracleXE

sudo vi /etc/apt/sources.list

  • Premir “G” (maiúsculo) para ir para o fim do ficheiro e “A” para poder adicionar a seguinte linha:

deb http://oss.oracle.com/debian unstable main non-free

  • Agora é preciso adquirir a chave para o repositório:

wget http://oss.oracle.com/el4/RPM-GPG-KEY-oracle -O- | sudo apt-key add –

  • Fazer update ao sistema e instalar o OracleXE

sudo apt-get update
sudo apt-get install oracle-xe

  • Correr o ficheiro de configuração do programa

sudo /etc/init.d/oracle-xe configure

Deve ser escolhida a porta 8080 para porta web e 1521 para o listener da base de dados. Escolhe-se uma password para a conta SYS e por fim, é escolher “y” para iniciar o servidor automaticamente no startup, e está configurado o servidor!

4 – Conectar-se ao servidor através do Mac

Para isso é preciso ter alguma ferramenta capaz de se conectar a um servidor Oracle, eu vou mostrar como se faz no Oracle SQL Developer.

  • Por baixo da tab “Connections” clicar no botão “New connection”
  • Introduzir os seguintes parâmetros
  1. Connection name: Qualquer um (localdb, p.e.)
  2. Username: SYS (depois podem ser criados mais utilizadores)
  3. Pass: Password definida quando foi corrido o ficheiro de configuração
  4. Hostname: Para isso é preciso aceder à máquina virtual (cuja rede deve estar configurada no modo NAT) e correr o comando ifconfig, copiar o IP e colar neste campo
  5. Port: default (1521)
  6. SID: xe

Se tudo correr bem, temos uma base de dados pronta a funcionar!

Como remapear o teclado no Mac OS X

Para qualquer interessado que queira usar um teclado normal (vulgo teclado do windows), no seu mac, ou no seu pc correndo Mac OS X, fica aqui a dica de como remapear o teclado ao seu gosto.

Por exemplo, uma boa ideia é mudar a tecla Alt para a Option e a tecla Windows para a tecla Command do Mac OS X, de forma a obter uma melhor experiência.

Uma forma simples e rápida de fazer isto é usando o DoubleCommand, o DoubleCommand é um pequeno programa gratuito para Mac OS X que permite remapear algumas teclas.

Aqui fica a lista de features do software:

  • Enter key acts as a Command key
  • Enter key acts as a Control key
  • Enter key acts as an Option key
  • Enter key acts as an fn key (partial support, cursor keys only)
  • Command key acts as an Option key
  • Command key acts as a Control key
  • Option key acts as a Command key
  • Control key acts as a Command key
  • Swaps Control key and Option key
  • Capslock key acts as a Control key
  • fn key acts as a Control key
  • Swaps numpad . with numpad shift+.
  • Shift + Delete acts as a Forward Delete
  • Disable Command and Option
  • PC style Home and End keys
  • Backslash (\) acts as a Forward Delete
  • Swap function key behaviour on new ‘Books
  • Disable Capslock
  • Enter key acts as Forward Delete
  • Caps lock acts as delete

english version here